Como vai a saúde do seu rim?

Os rins têm a forma de um grande grão de feijão localizados na região lombar medindo em um adulto de 10 a 13 cm. Estes incríveis orgãos conseguem filtrar todo o nosso sangue 12 vezes por hora, 180 litros por dia!

O rim é essencial à vida e suas principais funções são:

  • Filtrar o sangue eliminado toxinas do organismo;

  • Controle dos níveis da pressão arterial através da síntese da renina. Quando o rim está doente há um descontrole na produção da renina e surge a Hipertensão.

  • Regula a formação óssea, mantendo os ossos fortes;

  • Controla o delicado balanço de líquido no corpo impedindo os inchaços e Evitando que desidratamos nos longos períodos em que não ingerimos água;

  • Estimula a produção de glóbulos vermelhos produzindo o hormônio eritropoetina e assim evitando a anemia.

A doença renal apresenta pouco ou nenhum sintoma nas suas fases iniciais, ou seja, sua principal característica é ser assintomática! Isso, aliado a baixa informação da população sobre o assunto e a negligência por muitos profissionais da saúde com relação a saúde renal temos atualmente no Brasil 1,5 milhões de pessoas com doença renal, e o curioso é que 60% destes indivíduos nem imaginam ter esse diagnóstico e só descobrem em estágios avançados quando já quanto não há muito a fazer para salvar seus rins. Estima-se que anualmente 21 mil novos brasileiros precisam iniciar tratamento de hemodiálise para continuar vivos e essa taxa cresce 8% ao ano. Pacientes com disfunção renal têm 10 vezes mais chances de apresentar eventos cardiovasculares como infarto agudo do miocardio ou acidente vascular cerebral.


Para saber como está a saúde do seu rim é simples: nos seus exames de rotina dose a creatinina no sangue e faça um exame simples de urina chamado EAS. A creatinina sérica nos permite calcular a função renal e no exame de urina somos capazes de identificar presença de sangue e proteínas que podem indicar lesão no seu rim.


Fique alerta a esses sintomas:

  • Sangue na urina pode indicar infecção, glomerulonefrites, cálculos renais ou até tumor no sistema urinário;

  • Inchaços;

  • Pressão arterial elevada;

  • Urina espumosa pode significar presença de quantidade anormal de proteína na urina.

  • Anemia persistente,

  • Fadiga, e cansaço;

  • Perda de apetite, náuseas e vômitos,

  • Acordar durante a noite para urinar, esse é um sintoma muito comum em patologias relacionadas a próstata, porém acontece quando o rim perde a capacidade de concentrar a urina;

  • Dor na região lombar - normalmente relacionada a patologias osteoarticulares de coluna lombar, mas em alguns casos pode indicar infecção no rim e cálculos renais.

As pessoas com maior risco de desenvolver disfunção renal são os: diabéticos, hipertensos, obesos, tabagistas, indivíduos com histórico familiar de doença renal, cálculo renal, infecção urinária de repetição e uso de drogas tóxicas ao rim (ex.: anti-inflamatórios como ibuprofeno, nimesulidada e diclofenaco). Este grupo necessita de um monitoramento mais rigoroso da função renal, de preferência com um médico nefrologista.

Dicas da Clínica do Cálculo Renal para cuidar da saúde de seus rins:

  • Pratique exercícios físicos;

  • Evite o excesso de sal na dieta;

  • Controle de peso corporal, obesidade é causa de doença renal;

  • Controle da pressão arterial, a hipertensão é a maior causa de disfunção renal no mundo;

  • Controle do colesterol e da glicose;

  • Não fume! Tabagismo não só prejudica o pulmão mas também lesiona o rim!

  • Evitar o uso de anti-inflamatórios não hormonais (ibuprofeno, nimesulida e diclofenaco);

  • Beba água, pelo menos 3 litros/dia;

  • A Sociedade Brasileira de Nefrologia recomenda que todos avaliem a função do seu rim pelo menos uma vez ao ano.

  • Resumindo, mantenha hábitos de vida saudáveis!

Destaques
Recentes
Arquivo
Busca por Tags